Bolo Esfarelado de Brigadeiro – O bolo mais molhadinho que você ja comeu 

Galera me diz o que vocês acham de um bolinho bem bem bem molhadinho? Com muito muito muito brigadeiro? E se esse bolo for na verdade feito por aquele bolinho seco, meio sem graça, que você comprou na padaria antes de ontem?! Perfeito neh?! 

  

  • 1 bolo pronto (pode ser aqueles comprados no mercado, na padaria, desde que não tenha recheio) 
  • 2 latas de leite condensado 
  • 2 colheres (sopa) de chocolate 50%
  • 200 g de chocolate meio amargo
  • 3 colheres (sopa) de Leite 
  • 1 colher (chá) de manteiga sem sal 
  • Creme de leite fresco
  • 3 colheres (sopa) Açúcar de Confeiteiro
  • Confeitos a gosto

  
Comece esfarelando o bolo o máximo que puder. 

Unte uma forma ( aconselho a por papel manteiga untado de manteiga e chocolate, no fundo por que fica bem mais fácil de desenformar depois).

Coloque a primeira camada de farelo de bolo na forma sempre apertando bem a massinha para ela ficar mais unida. Coloque no ferazes enquanto faz os próximos passos abaixo. 

Em uma panela comece a a fazer uma calda para molhar o bolo. Coloque 1/2 lata de Leite condensado como as duas colheres de chocolate e o Leite.  Só disolvía o chocolate e reserve a panela. 

Comece a fazer o Brigadeiro. Em uma panela coloque o chocolate meio amargo picado, junto com a manteiga. Comece a derreter o chocolate em fogo baixo. Mexendo sempre pra não queimar. Quando estiver quase todo derretido acrescente os restante do leite condensado (1 lata e meia). E mexa até o ponto de brigadeiro de colher (assim que começar a desprender desligue. Reserve.

Tire o bolo do freezer e comece a montagem. Jogue a calda e distribua para ficar bem úmido. Depois uma camada de brigadeiro. (Se estiver com tempo, coloque o bolo nesse momento o feezer novamente, para que endureça e suas camadas fiquem mais aparentes, eu estava com fome então não esperei, Rs). Vá montando as camadas nessa ordem. Termine com uma camada de bolo. 

Dica: sempre vá apertando para o bolo ficar bem preenchido na forma. 

Leve ao freezer por no mínimo 2 horas. 

Faça o chantilly.

Na batedeira coloque o creme de leite fresco com o açúcar de confeiteiro e bata em velocidade média até formar ondinhas. 

Tire o bolo do freezer e passa a primeira camada de chantilly. Volte ao freezer por 20 minutos. E passe mais uma camada de chantilly. 

Finalize com os confeitos. 

Feijão – É necessário deixar o feijão de molho? Em quanto tempo o feijão cozinha? Etc…

  

Preto, roxinho, rosinha, mulatinho, não há no Brasil quem dispense o delicioso feijão de todo dia.
Companheiro perfeito para o arroz, a carne assada, o frango de panela e outras gostosuras, além de irresistível, é fonte importante de proteínas, fibras, ferro e outros nutrientes.

Mas, apesar de ser um dos alimentos preferidos dos brasileiros, há muitas dúvidas sobre sua preparação. É preciso deixá-lo de molho ou não? Temperá-lo antes ou depois de pronto? Como engrossar o caldo? Agora vamos esclarecer estas e outras dúvidas!

– É necessário deixar o feijão de molho?

Sim. Quando você deixa o feijão de molho, além de cozinhá-lo em menos tempo, evita que quem consumi-lo se sinta incomodado com a maior formação de gases depois da refeição. Isso porque o feijão contém oligossacarídeos, que nosso organismo não consegue digerir, e, no intestino, é fermentado por bactérias, causando flatulência. Para evitar o problema, o ideal é lavar os grãos e deixá-los de molho durante a noite, para cozinhá-los com outra água no dia seguinte. Esse procedimento ajuda a eliminar os oligossacarídeos.

– Em quanto tempo o feijão cozinha?

Na panela de pressão, o feijão fica pronto em aproximadamente 20 minutos, depois de ela começar a apitar. Já na panela comum, leva cerca de uma hora. E não deixe que o feijão cozinhe demais. Observe: os grãos devem permanecer inteiros, porém macios.

– Qual a quantidade certa de água?

Se você tiver deixado o feijão de molho, junte 4 xícaras (chá) de água para 2 xícaras (chá) de feijão. O cálculo pelo “olhômetro” também vale: coloque 5 dedos de água acima do nível dos grãos. Se precisar acrescentar mais durante o cozimento, complete sempre com água fervente.

– Como fazer para engrossar o caldo?

O que torna o caldo grosso é a redução (processo no qual a água do feijão vai evaporando durante o cozimento). Assim, depois de temperado, deixe o feijão apurando em fogo lento. Um jeito mais rápido de fazer isso é, depois do cozimento, retirar uma concha e amassar os grãos. Então, devolva à panela e cozinhe por mais 15 minutos, sem tampar.

– Como e quando temperar?

O ideal é temperar o feijão depois de cozido, mas ainda firme. Faça assim: em uma panela, aqueça um pouco de óleo e refogue bastante cebola e alho picadinhos. Depois, acrescente o feijão e parte da água do cozimento, e deixe apurar. Por fim, acrescente o sal – mas cuidado com a quantidade, pois, quando consumido em excesso, este ingrediente não faz bem à saúde. Se você gosta de usar outros temperos, como os caseiros, em pó ou caldos, opte ou pelo tempero ou pelo sal.

– Qual o truque para deixá-lo mais saboroso? 

Frite cubinhos de bacon até que fiquem crocantes e escorra-os em papel toalha. Distribua-os sobre o feijão antes de levá-lo à mesa. Ou, então, em uma panela, refogue fatias de paio em sua própria gordura, junte cebola e alho picados e mexa até dourar. Em seguida, acrescente o feijão cozido.

– Posso congelar?

Sim. Cozinhe o feijão da maneira habitual, mas sem deixar os grãos amolecerem muito. Deixe esfriar, embale e leve ao freezer, sem tempero, mesmo. Deixe para temperá-lo quando for aquecê-lo para o consumo. Desta forma, ele pode ser congelado por até três meses.
Fonte: Sadia

MOLHO ALFREDO

Não sei se vocês sabem mas tenho outra paixão, além da culinária, história! Quando junta as duas coisas então, aí fica perfeito. 

 Hoje vamos conhecer um pouco mais da linda história do:  Molho do Alfredo!

  

Em 1910, Alfredo di Lelio inaugurou um pequeno Bistrô em Roma: O “L’Originale Alfredo di Roma Ristorante“! A pequena casa logo agradou os fregueses habituais, pela qualidade de sua comida! Porém, um fato iria marcar para sempre a história do pequeno restaurante e colocá-lo dentro da história da Gastronomia mundial. Quando Inês, esposa de Di Lelio, deu a luz ao seu primogênito, este preocupado com a falta de apetite da esposa, cozinhou Fettuccine e serviu apenas com Manteiga e Parmeggianno ralado. Pronto, estava criado um dos molhos mais famosos para macarrão de todos os tempos. Logo incorporado ao cardápio do Bistrô, o prato começou a ganhar fama. O auge ocorreu quando Mary Pickford e Douglas Fairbanks, estrelas do Cinema mudo, em Lua de Mel em Roma, encantados com o prato, presentearam a casa com um garfo e uma colher de ouro. Até hoje é privilégio de quem janta no Alfredo, em Roma, o mais idoso na mesa utilizar os talheres em ouro. 

Levada para o mundo inteiro, a receita passou por poucas alterações. Aqui no Brasil, na falta de uma Manteiga de melhor qualidade, foi incluído o Creme de Leite fresco (Nata), que é a receita que passarei hoje.

Ingredientes:

  • 200g de Creme de Leite fresco 
  • 1/2 xícara (chá) de queijo Parmegianno ralado (aproximadamente 55 g)
  • 4 colheres (sopa) de manteiga picada (48 g)
  • Sal e grãos de pimenta do reino amassados a gosto

 
Modo de preparo:
Coloque o Creme de Leite em uma tigela refratária ou de inox

Leve ao fogo, em banho-maria (em uma panela com 1 litro de água)

Deixe por 3 minutos, mexendo de vez em quando, ou até amornar

Abaixe o fogo

Acrescente, aos poucos, e sem parar de bater com um batedor manual o Queijo

Coloque a Manteiga (pouco a pouco), batendo sem parar

Coloque o sal a gosto e junte a pimenta-do-reino e retire do fogo 
(Fonte: Veja)